24 de fev de 2012

VINHO RIESLING RENANO RESSURGE EM COLÔNIA DE IMIGRAÇÃO ALEMÃ

INSPIRADO NOS GRANDES BRANCOS CLÁSSICOS

Um vinho 100% varietal de autênticas uvas Riesling Renano está sendo produzido no coração da zona de imigração alemã do Rio Grande do Sul.  O líder desse empreendimento é Rolf Weinzierle, um engenheiro agrônomo de Stuttgart, cuja inspiração são os grandes vinhos alemães do Reno e Mosela. Ele encontrou na localidade de Nove Colônias, interior de Nova Petrópolis, na Serra Gaúcha, as condições para elaborar o que é considerado um clássico dentre os vinhos brancos. 

Rolf Weizierle
A Weingut Weinzierle (Vinícola Weinzierle) iniciou em 2005, quando Rolf e sua esposa Ruth compraram uma área de terras na região. Ele estava determinado a provar que um alemão também poderia fazer vinho no Brasil, onde a atividade vitivinícola é marcadamente liderada pelos descendentes de imigrantes italianos. Nas terras em que seus patrícios imigrantes se instalaram há quase 200 anos, no Sul do Brasil, plantou o vinhedo e construiu a sua residência.Coincidência ou não, o seu nome de família significa, em dialeto alemão, “viticultor”. 

Trabalhador determinado, mas cauteloso,  no final do ano passado, começou a busca de mercado para as 12 mil garrafas produzidas em 2011, nas versões seco e meio-seco. A safra de 2010, com apenas 3 mil garrafas, meio-seco, foi discretamente comercializada pelo estabelecimento onde Rolf contratou a vinificação. Surpreendente pelo aroma cítrico e floral, que se confirma em boca,  tem o doce do açúcar residual deliciosamente cortado pela acidez em equilíbrio, o que o torna um vinho agradável e refrescante.



Já a safra 2011 trouxe o tipo seco, de cor amarelo claro e reflexos esverdeados, com aroma e boca intensos de lima e limão, toque mineral e grande frescor propiciado pela acidez perfeitamente integrada. Essa versão representa cerca de 40% da produção, mantendo-se o restante na versão meio-seco, de acordo com o paladar de preferência da maioria dos consumidores no país, pondera o vitivinicultor.

Rolf quer marcar a sua produção pela autenticidade e qualidade, tal como os melhores vinhos brancos alemães desse varietal. Ele acredita que há grande potencial para o mercado de vinho branco no Brasil. Já  tem planos e lugar preparado para construir a sua própria vinícola, num declive do terreno, a fim de realizar parte dos processos de vinificação de forma natural, aproveitando a força da gravidade.

A variedade Riesling Renano é pouco produzida no Brasil e os vinhos exclusivos dessa cepa são praticamente inexistentes atualmente. São encontrados apenas em cortes com outras uvas. De acordo com dados da Uvibra/Embrapa Uva e Vinho, em 2010 foram processadas pela indústria apenas cerca de 98 mil quilos de uvas desse varietal no país, contra 351 mil quilos de uvas Sauvignon Blanc, ou 8 milhões 600 mil quilos de uvas Moscato, por exemplo.




Em Nove Colônias, Rolf  conquistou o respeito, a admiração e a amizade dos vizinhos agricultores. Transformou campos abandonados, cheios de pedras e banhados em uma propriedade de sonho, restaurando uma antiga casa em estilo típico enxaimel dos anteriores proprietários, descendentes de etnia alemã. Construiu a ampla residência da família, onde passa cerca de seis meses do ano, entre novembro e maio. No outro período, trabalha na Alemanha, onde é grande produtor de morangos.

Os vinhedos, em espaldeira, foram implantados inicialmente em apenas um hectare, utilizando clones alemães de uvas Riesling Renano de alta qualidade, em porta-enxertos produzidos no Brasil. Atualmente somam 5 hectares. Ocupam uma encosta, a  600 metros de altitude, com ótima exposição solar e ventos regulares, que, segundo Rolf, contribuem para a sanidade das uvas.

A colheita da safra deste ano ocorreu em mutirão de dois dias, no início de fevereiro, reunindo cerca de 60 pessoas, entre vizinhos, amigos e convidados. Em comum, praticamente todos conversavam entre si em alemão ou dialeto entremeado de palavras em português, como é comum na região, enquanto faziam o corte dos cachos e separavam para as caixas apenas as uvas sãs. Por sua vez, Rolf percorria as pontas das linhas do vinhedo, ou levando um barrilete de água fresca para os trabalhadores, ou acompanhando o carregamento das caixas no caminhão que as levaria para a vinificação, ou conversando pelo celular com o enólogo, na vínicola.










A fermentação do mosto de uvas é feita a frio, a baixas temperaturas, consumindo cerca de 20 dias, explica o enólogo Blásio Berwian, brasileiro da região, mas com formação profissional na Alemanha e experiência nesse país e na Suíça. O processo, aliado a leveduras aptas a trabalhar no frio, permite que se intensifiquem os aromas e gostos frutados no vinho e se obtenha um produto de alta qualidade. A vinificação respeita o estilo dos famosos Rieslings alemães e teve a supervisão inicial do enólogo e vitivinicultor Sebastian Schneider, que veio da Alemanha, especialmente para esse fim.

Rolf e Ruth Weinzierle
A safra 2012 alcançou 31 toneladas de uvas, com grau 100 na escala alemã Oechsle ( equivalente a 18 graus Babo), o que segundo Rolf, a coloca entre as uvas aptas a produzir vinhos da categoria alemã “Qualitätswein mit Prädikat – Qmp (Vinhos de Qualidade com Atributo), da classe Spätlese (de colheita mais tardia e de paladar mais intenso, não necessariamente doce, produzindo vinhos maduros e equilibrados).

Serviço:
Riesling Renano Weingut Weinzierle 2011 Seco
11 % vol. álcool
Temperatura de consumo: entre 7º e 12 º C
Harmoniza com antepastos leves, peixes, saladas e queijos suaves

Onde comprar:
- Miss Gayah
Fone: (54) 3281- 4177
Av. 15 de Novembro, 1802
Nova Petrópolis- RS


- Em Porto Alegre
Tel (51) 9968-2349


E-mail: ww@vinicolaalema.com.br
Site. www.vinicolaalema-weinzierle.com.br 

4 comentários:

Helena disse...

Excelente texto e ótimo conteúdo! Legal saber desse interesse pelas nossas terras, é prova de que o Brasil pode (e já produz) vinhos de alta qualidade.

Fernando Luiz disse...

Que ótima notícia e que qualidade na informação passada. Fiquei com água na boca. Seria legal se houvesse a venda em Porto Alegre

Anônimo disse...

excelente,especial,muito goce,glorioso.

abrazo rodolfo

Alice se... disse...

Gostei. Gostei muito - levemente ácido, levemente adocicado, e um gostinho de fruta q por alguns momentos me lembra maçãs verdes...