30 de nov de 2012

CRESCE A LINHA DE VINHOS VARIETAIS A PREÇOS POPULARES

INDÚSTRIA VAI EM BUSCA DO CONSUMIDOR DE R$12,00

Depois de provar aos consumidores exigentes, à mídia especializada, e à alta gastronomia que "sabe" fazer bons (...mas caros...) vinhos, a indústria vinícola brasileira volta-se também para o consumidor comum interessado em vinho. Aquele que estava acostumado à bebida barata de uvas americanas nacional e a vinhos argentinos de custo irrisório e de elaboração duvidosa  -  ou por tradição, ou porque os varietais brasileiros estavam fora do alcance do seu bolso.


Necessidade de escoar os estoques,  caça aos novos consumidores,  fazer frente à concorrência de vinhos básicos argentinos e chilenos, a verdade é que,  desde o início de 2012, a indústria engordou a linha de vinhos varietais na faixa de R$12,00, antes reduzida à produção de umas poucas vinícolas. Os rótulos tem preços que variam entre R$8,50 a R$13,90. O resultado dessa oferta é perceptível  nas gôndolas dos supermercados e não se resume apenas a vinhos tranquilos.

Cresceu também o número de marcas de espumantes e vinhos frisantes nessa média de preço. Neste inverno, numa filial de uma grande rede de supermercados de Porto Alegre destinada a consumidores de classe A/B, mas frequentada crescentemente pela nova classe C, a área destinada a vinhos nacionais já era equivalente a de vinhos estrangeiros, tantas as novas opções inseridas nas gôndolas. Isso muito antes de encerrada a querela das salvaguardas aos vinhos nacionais, que culminou em acordo pelo apoio do varejo à maior exposição da produção nacional nas prateleiras...


Em geral, são vinhos simples, com alguma intensidade de aroma e sabor, a maioria corretamente elaborados, predominando um leque de varietais mais conhecidos, entre os quais Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Riesling.  

A novidade são os varietais tinto "doce", algo impensável até pouco tempo, quando o que fugia do "seco", apenas alcançava o "meio-seco", em se falando de varietais. O que se percebe é que aumenta a concessão que se faz ao gosto pelo adocicado da população brasileira, algo que, não entanto, não é apenas fenômeno nacional, mas corrente nos Estados Unidos e outros países. Daí, que até os "secos" estão no limite do que se pode enquadrar como tal, com paladar adocicado desde o início. Mas isso não é privilégio da linha de entrada de vinhos. Inclusive vinhos "premium" nacionais estão se enquadrando nessa tendência.


Dentre rótulos encontrados na faixa dos R$12,00 encontra-se inclusive um vinho premiado com medalha de ouro no VI Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, realizado pela Associação Brasileira de Enologia, com jurados internacionais, em julho último, em Bento Gonçalves. É o Cabernet Sauvignon Virtus 2011 Monte Paschoal, seco.  Mas ainda há muitas opções de vinhos engarrafados, elaborados com uvas americanas, a preços mais baixos  (de R$6,00 a R$9,00), sinal de que esse segmento continua tendo importância econômica para a indústria.


Rótulos de varietais a preços populares encontrados em supermercado de Porto Alegre - vinhos tranquilos:
  • Almadén (Miolo Wines)- Cabernet Sauvignon (seco e suave),Shiraz,Tannat,Merlot, Riesling.
  • Arbo (Perini) - Cabernet Sauvignon, Moscato, Merlot, Riesling, assemblage Cabernet Sauvignon/Merlot
  • Santa Colina (Coop. Nova Aliança) - Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay, Pinot Noir, Riesling
  • Classic (Salton) - Tannat, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Chardonnay, Riesling
  • Marcus James (Coop.Aurora) - Cabernet Sauvignon,Tannat, Pinot Noir, Riesling, Sauvignon Blanc, Chardonnay
  • Granja União (Coop. Garibaldi) - Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc (suave), Riesling, Malvasia (suave)
  • Gran Legado - Merlot, Cabernet Sauvignon, Chardonnay
  • Virtus Monte Pascoal (Vinhos Basso) - Cabernet Sauvignon (seco e suave), Merlot, Chardonnay, Moscato, Tannat, Merlot Rosé
  • Vale da Ferradura (Marson) - Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay
  • Clos de Nobles (Coop. Aurora) - Cabernet Franc, Tannat, Riesling
  • Aquasantiera (Coop. Garibaldi) - assemblages Tannat/Merlot/Cabernet Sauvignon e Moscato/Riesling/Trebiano
  • Saint Germain (Coop. Aurora) - Merlot (meio-seco), Cabernet Franc (suave), assemblage Cabernet Franc/Merlot, assemblage Moscato/Trebiano
  • Serra Nevada (Salton) - Cabernet Franc (meio-seco), Cabernet Sauvignon, Merlot 
  • Conde de Foucauld (Coop. Aurora) - Cabernet Franc
  • Jota Pe Varietal (Perini) - Moscato 

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela percepção avaliação, muito boa excelente. Adorei

Rodrigo disse...

Belo artigo. Apenas uma correção. As linhas SAINT GERMAIN e CLOS DES NOBLES são da Vinícola Aurora.