31 de mai de 2012

FEIRA DO DIA ESTADUAL DO VINHO INICIA EM PORTO ALEGRE



A feira de vinhos que marca o Dia Estadual do Vinho,  comemorado no Rio Grande do do Sul em 1º de junho, abriu na noite de ontem, numa barraca de lona, ao lado do centro cultural do Gasômetro, em Porto Alegre. Cerca de 30 vinícolas, entre pequenas e desconhecidas e as maiores e tradicionais Cooperativa Aurora, Salton e Miolo, expõem seus produtos, a preços com desconto. Prestigiando a abertura do evento, estavam presentes os integrantes da Irmandade do Vinho, de proprietários de restaurantes italianos da cidade, e o presidente da Miolo Wines S.A., Adriano Miolo.
 
PRODUÇÃO CEDE AO GOSTO POPULAR
O que se percebe ao longo dos anos é que a feira não consegue deslanchar e se mantém com a média de 20 a 30 vinícolas, que é muito pouco representativo do universo de mais de 300 vinícolas existentes só no Rio Grande do Sul. Falta de apoio das entidades maiores da indústria do vinho? Desconsideração à importância de uma feira de caráter aberto, onde o ingresso é gratuito?


Além disso, após uma rápida passada pelos estandes, o que se pode comprovar é que a produção de vinhos de entrada cedeu realmente ao gosto popular. Os vinhos básicos estão cada vez mais muito adocicados. Acabou-se o pudor de anos atrás, e alguns rótulos já exibem em primeiro plano a expressão "cabernet sauvignon suave", por exemplo. Outros, de categoria premium, também estão caminhando nessa direção.

Exceções presentes na feira, alguns com oferta de degustação, outros não, são os vinhos na faixa de R$35,00 a R$50,00, das vinícolas Torcelo, Terragnolo, Valmarino e Dom Eliziario. Vinhos diferenciados, de pequena produção, que justificariam o valor, defendem os proprietários.

EDUCAÇÃO PARA O VINHO
Chama a atenção também a falta de eventos paralelos de educação para o vinho, que deveriam ser constantes e que já ocorreram em edições anteriores da feira, tais como cursos de degustação, por exemplo. Com atividades dessa natureza se qualificaria a apreciação do vinho e se construiriam consumidores mais conscientes e também mais preparados, por exemplo, para se iniciarem em produtos de gama superior.

A feira prossegue até 3 de junho com eventos como a encenação da chegada dos imigrantes italianos no cais do porto e a bênção da produção de vinhos de 2012 pelo bispo de Porto Alegre.

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito correta a análise. Do jeito que anda, o mercado dos vinhos do estado não evolui e essas feiras só andam pro lado.

Helena disse...

Não conheço essas feiras, mas é verdade que os eventos do setor têm de se profissionalizar para poderem ampliar o mercado

Anônimo disse...

Bem avaliada, pois realmente trata-se uma grande oportunidade, porém mal aproveitada. Falta maior credibilidade ao mercado interno.