29 de nov de 2013

PINOT E COZINHA ÁRABE


Uma experiência agradável com comida e vinho a preços acessíveis

O local do jantar não estava bem definido. A idéia era ir a uma pizzaria diferenciada, mas no meio do caminho surgiu a sugestão de um restaurante que teve seu ambiente reformado, já há alguns anos, mas que nunca mais visitara desde então.

Casa de comida árabe! Era cedo, mas havia apenas uma mesa disponível. Já entrei conformada em acompanhar a comida com alguma cerveja artesanal, porém ao abrir a carta de bebidas, lá estava um interessante vinho tinto leve nacional de qualidade, acrescido de apenas 30% do preço de venda em supermercado/loja. Inacreditável!

Escolhidos os pratos,  o imperativo foi arriscar na bebida. Que venha o Pinot Noir Pinto Bandeira Aurora 2012, com selo de Indicação de Procedência,  para fazer companhia ao Risoto árabe e ao Chanclixi à moda, acompanhado de pães árabes, azeite de oliva e molho de alho!


E não é que o Pinot Noir Pinto Bandeira Aurora deu conta dos sabores fortes da comida, combinando perfeitamente com a acidez do queijo árabe dissolvido na salada Chanclixi, de cebola, tomate e ervas, e com o suave risoto de carne e salsa, mais os pães com azeite e uma pitada de molho de alho?

Com o espírito e o estômago reconfortados pela singela experiência, saí acreditando que é possível encontrar locais onde se combinam preços acessíveis, comida boa e vinho.

E sejam louvados Al Nur restaurante árabe e Sommelier Vinhos, responsável pela carta de vinhos da casa, por oferecerem o Pinot Noir Pinto Bandeira Aurora a corretos R$42,90 a garrafa, o mesmo vinho que é encontrado a R$34,90 em um tradicional supermercado de classe média-alta de Porto Alegre. Convenhamos, uma diferença mínima, diante de margens de preços para vinhos que costumam passar de 150%  em outros restaurantes, tomando por base a oferta do mesmo produto no varejo.

E ainda,  vinho acrescido do selo de Indicação de Procedência de Pinto Bandeira, uma garantia de qualidade do produto. Só podem usar o selo os vinhos produzidos conforme os exigentes requerimentos estabelecidos pelo conselho regulador da associação de vitivinicultores, representando as melhores características da região produtora.

Mas nunca esquecer que toda experiência com vinho é algo único, dependente do estado de espírito, do lugar, da companhia.  Miguel Brascó, do Anuário Brascó-Portelli de Vinhos Argentinos, já  apontou. Beber vinho é uma experiência subjetiva, não há regras, nem receitas. O vinho eleva uma refeição, é bebida de convívio, de boa companhia. “ Não são vinhos, são garrafas. Não são garrafas, são taças. Não são taças, são situações. Não são situações...são companhias...", diz ele em seus mandamentos do vinho.


2 comentários:

Anônimo disse...

Muito boa a postagem, realmente o local é bastante agradável. Além do vinho, com certeza uma boa escolha!

Adorei parabéns
Abraços

Helena disse...

Hum, parecem deliciosos esses pratos, deu água na boca. Eu gosto bastante da comida árabe, então sou suspeita. Bela sugestão de combinação com o vinho.