28 de jul de 2011

UMA INTRODUÇÃO AOS VINHOS DA ITÁLIA

O curso Enografia Italiana- vinhos tranquilos, realizado neste mês na Escola de Gastronomia de Flores da Cunha (RS), ofereceu um conjunto de informações sobre as regiões vitivinícolas mais importantes da Itália e uma degustação guiada de 15 vinhos representativos dessas regiões. 
 
.O jornalista e sommelier italiano, professor doutor Roberto Rabachino, da Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori (Fisar), conduziu o estudo, com o apoio, para tradução simultânea, do enólogo e doutor em Enologia, Eduardo Scortegagna.  A Fisar mantém convênio com a Escola de Gastronomia, instituída há sete anos em Flores da Cunha pela Universidade de Caxias do Sul (UCS).Rabachino ministra cursos em vários países como representante internacional da Fisar, cujos certificados são acreditados pela Europe Academy for Education. Na Escola são ministrados cursos de Sommelier Básico e Avançado, além de diversos níveis de Cozinha Italiana.

Não há região na Itália onde não sejam plantadas uvas, mas por lei é proibido o cultivo de espécies que não sejam vitiviníferas (vitis vinifera), ao contrário do Brasil, onde a produção  se desenvolveu historicamente a partir de uvas americanas (vitis labrusca e riparia). A vitivinicultura tem grande importância no sistema agroalimentar do país e, junto com o enoturismo, está em primeiro lugar no ingresso de divisas, constituindo a parte mais importante no Produto Interno Bruto (PIB) da Itália.


 Os vinhos degustados são procedentes das regiões norte, centro, sul e ilhas, fazendo parte de uma seleção de vinhos italianos elaborada pela Fisar e ministérios do governo italiano, para os eventos realizados este ano por ocasião das comemorações dos 150 anos da unificação da Itália.

Durante o curso, o professor Rabachino ofereceu um regalo aos alunos: a degustação de um grande vinho, não previsto na listagem inicial: Tenuta Friggiali Brunello de Montalcino  2004, da famosa produtora Donatella Colombini, elaborado a partir de uvas sangiovese grosso. Um vinho com passagem de no mínimo 24 meses em barricas de carvalho e 24 meses de garrafa, com aromas de ameixas maduras, chocolate, tabaco, café e couro e muito equilibrado em boca.

Nenhum comentário: