11 de fev de 2014

A FESTA DO VINHO BRANCO NÃO FILTRADO


Chasselas Neuchâtel Non Filtré - OVPT- Suisse
UMA NOVA TRADIÇÃO NUM PAÍS DE DOIS MIL ANOS DE VITIVINICULTURA

Como outros países europeus, a Confederação Suíça tem uma história de produção de vinho que remonta aos tempos dos romanos.

Mas no cantão (estado) de Neuchâtel surgiu uma tradição que iniciou apenas há 40 anos. A terceira quarta-feira do mês de janeiro de cada ano é esperada ansiosamente em toda região.

É o momento de lançamento do vinho branco não filtrado, o embaixador da primavera, primeiro vinho representativo da safra - o Chasselas Neuchâtel Non Filtré. (É preciso lembrar que no hemisfério norte a vindima termina por volta de outubro.)

Nesse período de janeiro, o processo de vinificação já está completo, o vinho, elaborado com a uva Chasselas, está pronto, falta apenas a filtração. Assim, ainda estão em suspensão as lias - resíduos de leveduras do processo de fermentação - que dão ao vinho um aspecto turvo.  Mas são elas que impedem a oxidação e aportam frescor e aromas de frutas exóticas, como pomelo, maracujá ou banana, tão celebrados nesses vinhos.
 
Vinhedos à beira do lago -Neuchateltourisme.ch
 A liberação das primeiras garrafas do vinho não filtrado ocorre em cerimônia no pórtico da prefeitura da capital Neuchâtel, organizada pela Organização dos Vinhos e Produtos do Terroir (OVPT), seguida de degustações públicas. Em 2014,  25% da produção do vinho de uva Chasselas - cerca de 110 mil litros - será vendida como não filtrado, sendo consumido totalmente na própria Confederação Suíça.

A tradição do vinho não filtrado teve sua origem em 1974, quando, depois de uma fraca vindima, começou uma pressão no mercado pelo vinho Chasselas, que é muito apreciado na região, por seu frescor, aromas e leveza. A situação estimulou uma vinícola da região a vender certa quantidade de vinho sem filtração e a novidade agradou os consumidores. A liberação precoce do vinho Chasselas na região foi oficializada em 1995.
Uva Chasselas

O vinhedo de Neuchâtel se estende por 30 quilômetros de encostas, diante do lago de mesmo nome e a cadeia de montanhas Jura, em altitudes que vão de 400 a 600 metros.

Os especialistas recomendam que o vinho não filtrado deve ser degustado a 6º ou 7º , acompanhando bem aperitivos e  queijos. Afirma-se que pode ser guardado por dois, três anos e alguns dizem que no final estará ainda muito melhor.

Tradições normalmente são resultado de costumes antigos, históricos, repetidos dentro de um grupo social, como podem ser criadas, como se vê, por situações fortuitas, como a que se descreve acima. A incorporação de novas "tradições" diferencia uma região e lhe confere atrativos turísticos, essenciais no caso da atividade econômica vitivinícola.

3 comentários:

Helena disse...

Que curioso! Pela descrição, esse vinho parece muito bom! O ideal seria poder degustá-lo numa dessas paisagens bonitas da Suíça.

Anônimo disse...

Excelente Matéria Parabéns !

Esse vinho deve ser muito bom.

Adorei saber um pouco mais dessa linda região, além de conhecer sobre uma tradição de um vinho especial.

Anônimo disse...

Parabéns

Excelente descrição.
Deve ser linda essa região.
Abraço