19 de set de 2012

SETEMBRO: FEIRAS DE VINHO AGITAM HIPER E SUPERMERCADOS... NA FRANÇA

Capa da "Revista do Vinho da França" de setembro
UMA TRADIÇÃO DE 40 ANOS MOBILIZA COMÉRCIO E CONSUMIDORES E GERA FATURAMENTO DE MAIS DE 3 BILHÕES DE EUROS

Para os franceses apaixonados por vinho, o mês de setembro de cada ano reserva momentos de grande agitação. Em todo país, nas redes de supermercados, lojas de vinho, entrepostos e também nos sites de venda pela internet, se desenrolam as tradicionais feiras de vinhos. As feiras são um dos rituais anuais a que se entregam os franceses há cerca de 40 anos. Coincidindo com a vindima, é a hora de descobrir novos vinhos, suprir a adega da casa a preços apetecíveis e conseguir aquela garrafa há muito sonhada, por muito menos do que se pagaria normalmente.

PRODUTOS SELECIONADOS

Não se trata de venda de saldos, mas sim de oferta de produtos selecionados por profissionais, nas mais tradicionais regiões produtoras da França, dentro de cada segmento de preço, de “grands crus” a vinhos modestos, com preços atraentes. Os estabelecimentos reservam grandes espaços destinados às feiras. Alguns hipermercados chegam a instalar  até mil metros quadrados para o evento. Várias lojas do Carrefour destacaram profissionais para orientar os clientes, às vezes aturdidos diante das centenas de rótulos expostos. Neste ano, a rede também trouxe vitivinicultores para apresentar seus produtos. Especialistas no assunto constatam um avanço de qualidade nos vinhos expostos em 2012, com a melhoria na relação preço-qualidade.

Bandeira da cadeia de lojas de vinho Nicolas
Dentre as mais de 15 redes de super e hipermercados participantes das feiras, estão a líder Leclerc, Carrefour, Groupe Casino, Auchan, Intermarché, Franprix, Monoprix e Lidl. As ofertas também podem conferidas nas tradicionais redes de lojas de vinho Nicolas, Lavinia e outras, inclusive pela internet. Destacam-se ainda entrepostos de vinho como o 3C – Châteaux Cash and Carry, com dois depósitos nos arredores de Paris, cujo acervo é de mais de 500 mil garrafas. Esse estabelecimento organizou um catálogo por regiões, a preços com descontos equivalentes ao valor da TVA (taxa semelhante ao ICMS brasileiro), no seu período de feira, de 7 a 22 de setembro.

                                                   LISTAS DE "BARBADAS"

Encarte do Carrefour
Para ajudar os consumidores a escolher entre milhares de rótulos e preços, jornais, revistas, saites e blogs preparam listas com as “barbadas” e oportunidades da estação. É o caso de Vinogusto, existente desde 2007, com cerca de 500 mil acessos por mês – um guia de vinho e enoturismo baseado nas opiniões dos leitores e saite de marketing institucional de vinhos, turismo e gastronomia. Em suas páginas podem se encontradas as mais interessantes ofertas constantes das prateleiras das redes e lojas, com indicação de preço e informações sobre o vinho e o produtor. As feiras se estendem até meados de outubro, cada estabelecimento com períodos diferenciados de duas a quatro  semanas.

VOLUME DE VENDAS

A importância das feiras de vinhos mede-se pelo volume de vendas realizado. Em artigo na internet, a Revue du Vin de France  indica que o evento é responsável por 15% das vendas anuais da grande distribuição, chegando a 3,4 bilhões de euros em 2011.

Para a cadeia de hipermercados Leclerc, líder histórica das feiras de vinho desde 1973, o evento, em 15 dias, em 2011, representou 25% da cifra de vendas anual, excluindo vinhos de mesa e outros comuns. Isso representou 86 milhões de euros no ano passado, contou Didier Coustou, comprador de vinhos da central Leclerc, em entrevista ao site Intothewine . Segundo Didier, as redes Anchan e Carrefour venderam em período idêntico 60 milhões de euros.


Anúncio da cadeia Leclerc na internet
A cadeia Leclerc, com cerca de 500 pontos de venda, faz sua seleção de produtos entre janeiro e março, por região, denominação de origem e segmento de preço. Vinhos pré-selecionados são negociados com as vinícolas, passam por degustação às cegas e o melhor cotado é aprovado. Para 2012, profissionais da empresa degustaram 1500 amostras, aprovando 150 novos rótulos que se somaram aos já aprovados nos anos anteriores, informou Didier Coustou. Cada loja apresenta em comum 180 referências, somadas às ofertas da produção da região em que se encontra.

HISTÓRIA

O historiador Jean Baptiste Noé  diz que as feiras de vinho são uma espécie simbólica da continuação da vindima, uma herança transformada da época em que a França era majoritariamente rural. “O país se transformou, mas os franceses conservam um laço emocional com a terra e a ruralidade”, opina ele, em sua página na internet. Noé afirma que, nas feiras atuais, os tradicionais instrumentos da colheita da uva, tais como tesoura e cesta, foram substituídos pelo carrinho de supermercado. “Mas a idéia é a mesma, colher os melhores frutos, encontrar a melhor uva, ou seja, uma boa garrafa a um bom preço”, complementa.

2 comentários:

Helena disse...

Belo artigo!
Na França, realmente o vinho está no centro de muitos eventos, essas feiras é um deles. Oportunidade para montar a "cave". Será que aqui no Brasil não existe a chance de as redes de supermercado organizarem algo semelhante? Acho que ajudaria a incentivar o consumo daqueles que normalmente não compram vinhos...

Anônimo disse...

Parabéns esse artigo está excelente muitas informações que desconhecia.